A Verdade Sobre as Vendas de Histórias em Quadrinhos nos EUA

Nos fóruns de discussão de Sites e Blogs especializados, nas redes sociais e, claro, nos canais brasileiros do YouTube dedicados a Quadrinhos, é comum ver comentários de como o mercado de HQs nos EUA está decadente, de como a Marvel está passando por uma fase comercialmente difícil, lamentos sobre uma suposta quebradeira generalizada das Comic Shops e outras teorias de “fim de mundo”.

A verdade é, felizmente, bem diferente. Fãs e, especialmente, muitos dos pretensos “influenciadores” das redes, parecem curtir um cenário negativo para gerar views ou algo do tipo. É compreensível, mas basta um pouco de pesquisa em fontes confiáveis para chegar aos fatos concretos.

Não vamos entrar nos detalhes de como funciona o mercado norte-americano de quadrinhos, mas é uma indústria a caminho dos 100 anos, que já passou por muitas transformações, altos e baixos, que conta com duas potências editoriais desde os anos 1960 – DC e Marvel, uma infinidade de editoras médias e pequenas, milhares de artistas, editores, cursos, comic cons, sites, etc.

Há, hoje, basicamente 5 canais de vendas de quadrinhos nos EUA: as Comic Shops, que somam quase três milhares; as Livrarias, tanto físicas (que voltaram a crescer em 2016!) quanto virtuais (Amazon é a grande líder, claro); as vendas das versões Digitais em download; as ainda existentes Newstands (Bancas e Lojas de Conveniência) e serviços de Assinatura.

Entre os especialistas em vendas, o mercado conta com 3 estudos mensais regulares: ICv2 – um portal profissional do setor, o Comichron, do estudioso John Jackson Miller, e o Comics Report, de outro analista, John Mayo.

Saiu há poucos dias um Relatório de Vendas estimadas do mercado norte-americano (EUA + Canadá) de 2016 produzido em conjunto pelo ICv2 e Comichron, que traz em 3 gráficos um resumo que clareia totalmente a nebulosa discussão sobre o setor. Vamos analisar um a um:

Vendas totais de 2011 a 2016

Em 2016, a receita bruta total gerada pela venda de quadrinhos atingiu 1 bilhão e 85 milhões de dólares, 5% acima de 2015. Reparem como o crescimento é constante ao longo dos últimos 6 anos.

Vendas por Canais no mercado EUA+Canadá

Neste segundo gráfico, temos duas informações:
. daquele total de +1 Bilhão, quanto foi gerado por cada um dos 4 Canais principais de vendas. Nota-se que as lojas especializadas (Comic Shops) ainda vendem mais da metade do total;
. e como essas vendas por canal se comportaram nos últimos 4 anos. É fácil observar que tanto Comic Shops quanto Livrarias continuam crescendo, enquanto as versões Digitais e Bancas+Assinaturas estão estáveis.

Vendas por Tipo de HQ

Finalmente, neste último quadro notamos que o maior volume do faturamento provém, sim, dos Encadernados (Graphic Novels), com quase 600 milhões de dólares, mas vale lembrar que cada edição dessas custa muito mais do que uma Edição Mensal (Comic Books), que geraram outros 400 milhões de dólares (cada Comic custa cerca de US$ 4,00, enquanto os Encadernados ficam em média US$ 20,00). Uma informação importante é que as versões Digitais, que até alguns anos atrás se especulava que “certamente mataria” as versões em papel, tem uma participação até tímida, de 90 milhões.

Novamente, há uma segunda informação que mostra as vendas por formato de 2011 a 2016. Nota-se o grande aumento nas receitas a partir de Encadernados, mas os Comics continuam produzindo mais receita ano a ano e, como todos sabem, sem estes simplesmente não existem os outros dois! Há gente que defende o “fim” das Edições Mensais sem entender que esse é o tipo de revista que efetivamente sustenta toda a indústria como ela é hoje.

Há várias conclusões que podemos tirar desses estudos, mas em suma: o mercado não está decadente, e sim em sólido crescimento; os Encadernados são um formato vencedor, e sua comercialização com descontos por locais como Amazon e nas próprias Comics Shops trazem um crescimento adicional importante, minimizando um hipotético domínio dos Downloads.

As líderes do setor, Marvel e DC, com suas constantes reformulações, eventos e números #1, são as grandes propulsoras desse desempenho. Li detalhes deste estudo e está comprovado que elas conseguiram, sim, renovar seu público leitor. Em 2015 a Marvel colaborou muito no crescimento do mercado com o lançamento da linha Star Wars, além do mega-evento Guerras Secretas. Em 2016 ela colaborou com Guerra Civil II e a linha All-New All-Different, enquanto a DC lançou Rebirth, outro grande sucesso comercial.

Atualmente, os leitores veteranos continuam consumindo muito, claro, mas há muita gente nova também, que vieram por vários caminhos, dada a enorme presença dos personagens em outras mídias, mas as reformulações, sagas e números #1 funcionam bem como porta de entrada para este nosso fantástico universo de entretenimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s