Resenha de Grandes Astros Batman Renascimento #2 – Panini Comics

Batman Vs Duas-Caras por John Romita Jr

Retomando a análise do primeiro arco desta nova revista do Batman, com roteiros de Scott Snyder e arte de John Romita Jr. Atualmente, só tenho comprado duas séries mensais do Renascimento DC – esta e a da Mulher-Maravilha, e pretendo continuar.

. Volume de Spoilers: como sempre, tentamos não ser desmancha-prazeres.

Nesta segunda parte do arco “Meu Pior Inimigo”, apropriadamente intitulada “Comboio para o Inferno”, vemos Batman tentando capturar Duas-Caras que, para escapar, contratou vários supervilões, todos dispostos a espancar impiedosamente o nosso herói. A história começa com embates sobre um trem em movimento longe de Gotham City.

Assim como na edição anterior, há alguns inimigos que eu não conhecia, muito provavelmente porque surgiram nos últimos anos, quando parei de acompanhar as HQs do Homem-Morcego. Portanto figuras como o Rei Tubarão e Jane Doe são novidade para mim, o que é um aspecto positivo, de descoberta, ou melhor, de um primeiro contato que pode ser instigante para pesquisar mais sobre tais personagens (o que de fato eu fiz).

Snyder desenvolve outras duas tramas, todas convergindo para o desfecho da aventura: uma, a alguns dias no “futuro”,  com o Comissário Gordon; e outra com um grupo de chefes do crime. Na verdade, a história em si não avança muito… embora seja tão frenética quanto o capítulo anterior e igualmente divertida.

Como de costume, o morcego parece estar sempre um passo a frente mas, desta vez, parece agir próximo do seu limite. De certo modo, entendo que a superação e a destreza sobre-humanas são grande parte do apelo do herói, mas às vezes o exagero pode trazer um efeito contrário. Afinal, como todos sabem, Batman ainda é Bruce Wayne, um homem dotado de vários talentos, mas ainda um homem. Aqui achei que passou um pouquinho do ponto. O melhor desta edição, sem dúvida, é o final, com a chegada de um antigo e sumido (talvez?) adversário.

Alguns dos supervilões do Batman na arte de Romita Jr., Danny Miki e Dean White

No campo artístico, Romita Jr. e Danny Miki mantém o interesse renovado pelo título, porque conseguem produzir sequências de grande impacto visual, embelezadas pelas cores vibrantes de Dean White. Gostei muito do uniforme do vilão surpresa – aquele do final – repaginado mas mantendo a essência do original. Uma dica: foi criado por Jim Starlim no final dos anos 1980 e há uma resenha aqui no Blog de sua primeira aparição.

A segunda história da revista, apesar das 8 páginas, ou talvez por conta disso mesmo, é bem coesa e retoma alguns acontecimentos da origem de Duke, o novo parceiro do Batman. Declan ShalveyJordie Bellaire fazem uma arte elegante, e a HQ continua interessante, com um bom mistério e um desenvolvimento bem-vindo da relação entre o jovem Robin e seu mentor.

Nota 7,5.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s